Resumo

Em 2021, foi publicada a portaria GM/MS nº 1.598 de 15 de julho de 2021 para instituir o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde que se consolida como um marco histórico para o País. Em sua essência, o plano busca valorizar os residentes, corpo docente-assistencial e gestores de programas de residência em saúde por meio da promoção e qualificação complementar e do aumento do número de bolsas de fomento, especialmente em regiões prioritárias. Pretende, assim, contribuir para a ampliação na oferta de especialistas e a fixação de profissionais em regiões com vazios assistenciais.


Introdução

O Hcor, por meio do PROADI-SUS, é um dos parceiros do Ministério da Saúde e irá contribuir com a execução das ações que constam no Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde. As ações se concentram no eixo Eixo de Valorização Ensino-Assistencial e tem como objetivo aprimorar o conhecimento científico e contribuir de maneira qualitativa e quantitativa no ensino e na formação de novos especialistas, bem como na produção científica no Brasil.

Sendo assim, o propósito deste projeto é contribuir com a qualificação dos programas de Residência em Saúde do País, através da capacitação de atores sociais vinculados a programas de residência, o que fortalece a articulação entre a formação de profissionais, a produção científica e a produção do cuidado em saúde no contexto do SUS.

O número de vagas ofertadas para o Triênio 2021-23, nos diferentes processos formativos, totaliza 1.420 vagas

 

Justificativa e relevância do projeto para o SUS

O fortalecimento do SUS, por meio da capacitação de profissionais de saúde, incluindo os residentes, dos programas de residência em saúde nos municípios onde os programas se desenvolvem, é o principal compromisso social dos Processos Formativos propostos neste projeto.

Esse compromisso está orientado à construção de uma consciência crítica pelos trabalhadores do SUS em relação à necessidade de melhoria das práticas de saúde, visando produzir intervenções mais qualificadas e efetivas, no sentido da orientação do cuidado integral às necessidades de saúde das populações, no contexto do território em que vivem e das redes de atenção às quais se vinculam.


Métodos

Para o alcance dos objetivos do projeto, são propostas quatro macroações no campo educacional, caracterizadas como processos formativos, incluindo uma ação de avaliação dos resultados obtidos no desenvolvimento do projeto, a saber:

1ª Macroação: Capacitação com foco nos residentes, no atendimento às urgências e emergências com o objetivo de ampliar as capacidades dos profissionais de saúde no reconhecimento das várias situações de emergência, potencialmente fatais, e no desenvolvimento de habilidades para a intervenção oportuna, segura e resolutiva;

2ª Macroação: Capacitação com foco nos preceptores que exercem atividade de coordenador das Comissões de Residência (COREME ou COREMU), com ênfase em: (i) favorecer a reflexão sobre o papel do gestor na COREME/COREMU e (ii) promover a ampliação das suas capacidades para o exercício qualificado da coordenação destas instâncias colegiadas das residências em saúde.

3ª Macroação: Formar preceptores através de uma Especialização lato sensu, visando à qualificação do exercício de sua prática didático-pedagógica, e da gestão da clínica, ancorada na educação interprofissional e na educação permanente, no contexto das políticas estratégicas do SUS, além da prática da saúde baseada em evidência e produção científica.

4ª Macroação: Avaliação dos resultados singularizados de cada processo formativo, através da construção de uma matriz de indicadores de monitoramento semestral e avaliação do projeto como um todo na perspectiva dos coordenadores, preceptores, residentes dos programas (atores dos processos formativos) através de um instrumento quanti-qualitativo.

O número de vagas ofertadas para o Triênio 2021-23, nos diferentes processos formativos, totaliza 1.420 vagas.


Resultados

O projeto pretende contribuir em médio prazo com a qualificação dos programas de residência em saúde e o exercício da preceptoria, e, portanto, uma melhor formação na modalidade residência, considerada “padrão ouro” na especialização de profissionais, visando a melhoria da assistência à saúde oferecida à população em áreas estratégicas do SUS.

 

A longo prazo, espera-se contribuir com mudança de paradigma na formação de profissionais de saúde, na cultura das organizações de saúde, principalmente quanto à relevância de ordenar a formação de profissionais de saúde, orientada às necessidades do SUS para a superação de um modelo de cuidado biologizado, médico centrado, hospitalocêntrico para um modelo que busca promover a ênfase na promoção, preservação e recuperação da saúde, a partir da concepção ampliada do processo saúde-doença, numa perspectiva interdisciplinar e interprofissional, que atenda às necessidades de saúde das pessoas e da população, em suas singularidades, considerando o perfil epidemiológico e o modo de viver a vida das pessoas e da comunidade.


Equipe

  • Hospital do Coração

    Liderança

    Cleusa Ramos – Hcor - Associação Beneficente Síria

    Gizelda Monteiro da Silva – Hcor - Associação Beneficente Síria

    Sidney Marcel Domingues – Hcor - Associação Beneficente Síria

     


    Equipe

    Stefanie Dechen – Hcor - Associação Beneficente Síria

    Marilda Siriani de Oliveira – Hcor - Associação Beneficente Síria

    Aline Marcadenti – Hcor - Associação Beneficente Síria

     Angela Ferreira – Hcor - Associação Beneficente Síria

     Karina Paixão – Hcor - Associação Beneficente Síria


    Colaboração

    Área Técnica

    Ministério da Saúde - MS

    Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde - SGTES

    Departamento de Gestão do Trabalho em Saúde - DEGTS


Indicadores

1230
Profissionais
capacitados

Conheça outros Projetos_